Manhê, o que tem pro lanche?!

Férias escolares. Ah, elas. Que a gente ama e odeia não ama tanto assim. Delícia passar o dia com as crias, inventar atividades e fazer passeios juntos, ficar se curtindo. Mas, né, não dá pra negar que o trabalho duplica. Triplica. Cansa.

Uma das coisas que pega, pra mim, são os lanches. Como na escola o lanche é compartilhado, só preciso pensar nisso (e preparar) uma vez por semana. Nas férias, são todos os dias pra ter lanche gostoso, variado e nutritivo. Algumas vezes por dia, porque parece que fome também triplica, vai entender.

Nessa semana não tô podendo reclamar – as filhas foram passar o começo das férias na casa da vó. E tenho muita sorte, porque minha mãe respeita completamente a alimentação que escolhi para elas, sem oferecer ultraprocessados e açucarados e, principalmente, preparando comidinhas veganas para o almoço e jantar todos os dias 😍. Pra facilitar a vida, eu mando os lanches.

Queria ter preparado, pra mandar, bolinhos e biscoitos que elas gostam, mas não deu tempo. Aliás, “não deu tempo” não é uma expressão incomum na maternidade, né? Às vezes a vida atropela e não dá pra sair tudo como planejado. E tudo bem. Aprendemos a ter cartas na manga.

Cartas na manga

Foi pra isso que criei o No Prato Delas, afinal. Pra ajudar e inspirar outras mães que, como eu, vira e mexe se veem cansadas, sem tempo, equilibrando um monte de pratos girando no ar, mas que ainda assim têm como prioridade oferecer uma boa alimentação para as crias.

Por isso, sempre vou trazer nossas receitas favoritas aqui pro blog. Mas também quero trazer ideias pra quando não dá pra fazer receitas. Não dá pra passar tempo na cozinha. Não dá pra preparar um piquenique digno de foto de Pinterest. Pode ser simples.

Deixo pra vocês uma listinha dos lanches simples, comprados prontos – mas bem longe das prateleiras de ultraprocessados – ou que precisem de preparo mínimo. Essa foto é dos que mandei pra casa da vó, e são os primeiros itens da lista.

Lanches que foram pra casa da vó. Também foram legumes e raízes para assar.
  • Frutas secas. Uva, banana, abacaxi, damasco. Também poderia ser figo, tâmara, goiaba, pera, pêssego…
  • Alga nori: corto em tiras de dois dedos de largura e passo rapidamente (coisa de segundos) na frigideira quente, dos dois lados, pra ficar bem crocante.
  • Semente de abóbora tostada.
  • Coco em lâminas
  • Oleaginosas. Eu tinha pecans, mas poderia ser qualquer outra (evite inteiras ou em pedaços grandes para as crianças pequenas, pelo risco de engasgo)
  • Legumes e raízes assados: brócolis, couve-flor, vagem, cenoura, beterraba, aipim (mandioca), batata doce (a batata doce pode ser congelada inteira e com casca pra salvar em uma emergência – a textura, depois de descongelada, fica praticamente igual à recém assada).
Batata doce assada com canela e feijão cozido
  • Leguminosas cozidas ou cozidas e torradas depois (feijões, grão de bico, favas)
  • Pinhão, pra quem mora no sul
  • Milho verde cozido
  • Biscoitos de arroz (daqueles em que a lista de ingredientes se resume a arroz e sal) com pasta de amendoim.
  • Pipoca, pi-po-ca!, pi-po-ca! Alguém te disse que pipoca é caloria vazia, uhm? Esquece isso. 30g de pipoca (de duas colheres de sopa de milho não estourado) têm 1/3 da necessidade de fibras e 10% da necessidade de ferro de um adulto (em 110 Kcal). Aqui as pequenas gostam com nutritional yeast, que dá uma turbinada na nutrição. Também fica gostosa com levedo de cerveja e páprica, humm… Mas pura mesmo, tá valendo.
  • E, claro, frutas frescas. Elas não me resolvem muito porque Alícia ainda não come a maioria das frutas frescas (só maçã, o que já foi um baita avanço), mas vale manter a fruteira cheia e acessível aos pequenos.

Tá com tempo?

Também tem receitinhas pra ir pra cozinha, com ou sem as crianças. Aproveita pra fazer:

E essas dicas aqui podem te facilitar a vida pra colocar comida na mesa mesmo na doideira das férias.

Boas férias pra vocês!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *